segunda-feira, 7 de junho de 2010

Maturidade espiritual

Ultimamente tenho vivido e visto algumas situações que me levaram a pensar sobre ser crente. Um dia aceitamos Jesus como senhor de nossa vida (até mesmo aqueles que nasceram em lares cristãos devem fazer sua profissão de fé um dia e descer às águas batismais) e passamos ao processo de conversão da vida. Uma vida que outrora existia, agora nao existe mais. Tal transformação o Mestre compara a um novo nascimento (Jo 3.3) de modo que aquele que está nEle é nova criatura (2Co 5.17). 
Tá, nasci de novo e agora? Começa uma nova caminhada. Os aspectos básicos de uma vida cristã devem ser cultivados. A nova natureza é dada por Cristo no momento que ele entra na história.
A palavra diz em Tiago 2.26 que "a fé sem obras é morta". As obras das quais Tiago fala são obras que o crente pratica em vida cristã. Quando uma pessoa se une a Cristo pela fé ele a transforma em nova criatura e apartir daí ele passa agir (obras) de acordo com o caráter do Mestre.
Como nova criatura a pessoa está reconciliada com Deus (2 Co 5.18) e passa a fazer parte do povo de Deus (Ef 2.11-22). Ele é feito filho de Deus (Jo 1.12), filho da luz (1Ts 5.5). Pergunta: é possível uma pessoa nestas condições ter um comportamento de vida igual aos demais? A resposta óbvia é não.
O verdadeiro cristão vive em espírito e não na carne. Comporta-se como filho da luz e não das trevas. Ele evita o mal e a aparência do mal (1Ts 5.22) de modo que a sua vida seja uma adoração constante ao Senhor e seja referência positiva para todos aqueles que o vêem agir.
O cristão evita contendas e inimizades (Rm 12.18), é honesto em TUDO (Rm 12.17) e não mente (Cl 3.9).
O verdadeiro crente se considera morto para o pecado e vivo para Deus (Rm 6.11,12) porque isso é busca de santidade e de comunhão com Deus.
O crente ora e medita na Palavra diariamente e toma parte nos cultos regulares da igreja como meio de comunhão com os irmãos (Hb 10.25).
Tiago no capítulo 4 de sua carta nos ensina como ter uma vida verdadeiramente cristã (ele é um pouco áspero em suas palavras mas ta coberto de razão!): 
 
1  De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?
2  Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis.
3  Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.
4  Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
5  Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?
6  Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.
7  Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
8  Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações.
9  Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza.
10  Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
11  Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz.
12  Há só um legislador que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?
13  Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;
14  Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.
15  Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.
16  Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna.
17  Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.



Maturidade espiritual é entender isso e reconhecer a necessidade do cultivo de uma vida em Cristo e para Cristo. Não é facil mesmo. Mas quem disse que seria? Ao contrário, Jesus disse que no mundo teríamos aflições mas que tivéssemos bom ânimo pois Ele venceu o mundo (Jo 16.33).
Ele é o nosso exemplo de vida, de maturidade espiritual.

Timóteo, um líder digno de ser imitado

Retirado do blog 'Palavra da Verdade'

http://2.bp.blogspot.com/_lZKISGONnRQ/S696iB7QQzI/AAAAAAAAAVc/I5KCdAchLQ8/s320/lider.jpgTimóteo foi um dos líderes mais destacados da igreja primitiva. Não que fosse forte em todas as áreas. Ele era jovem, tímido e doente, mas foi cooperador de Paulo e o continuador de sua obra. A esse jovem líder, o apóstolo Paulo escreveu duas de suas espístolas. Sua mãe era judia e seu pai grego (At 6.1). Timóteo tinha bom testemunho em sua cidade e também fora de seu domicilio (At 16.2). Timóteo foi educado à luz das Escrituras desde sua infância (2Tm 3. 14,15). Tanto sua avó Loide, como sua mãe Eunice eram mulheres comprometidas com Deus e com elas Timóteo aprendeu a ter fé sem fingimento desde a sua juventude (2 Tm 1.5).
Em Filipenses capítulo 2. 19 a 24, o apóstolo Paulo nos fala de algumas características desse importante líder espiritual.
Vejamos quais são essas marcas:

1. Timóteo, um líder que cuida dos interesses do povo. O líder é um sevo. Ele não visa seus próprios interesses, mas cuida dos interesses do povo de Deus. Timóteo não cuidava dos interesses do povo para alcançar com isso algum favor pessoal. Ele não usava as pessoas. Sua relação com as pessoas não era utilitarista. O apóstolo Paulo diz: “Porque a ninguém tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide dos vossos interesses” (Fp 2.20). Jesus foi o maior de todos os líderes e ele disse que não veio para ser servido, mas para servir. Quando seus discípulos disputavam entre si quem era o maior dentre eles, Jesus tomou a bacia e a toalha e lavou os pés dos dicípulos. Liderança cristã é influência por meio do serviço abnegado.

2. Timóteo, um líder de caráter provado. Timóteo era um homem de Deus. Sua vida estava centrada em Cristo. Ele era comprometido com as Escrituras, fiel a Cristo Jesus e dedicado à igreja. Timóteo não buscava glória para si mesmo. Ele não construía monumentos ao seu próprio nome. Ele buscava na igreja os interesses de Cristo. Paulo denuncia o fato de existirem na igreja homens que buscavam interesses próprios, porém Timóteo, diferente desses, buscava os interesses de Cristo. Leiamos o registro do apóstolo: “…pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus” (Fp 2.21).

3. Timóteo, um líder de caráter provado. Timóteo tinha zelo pela sua vida e também da doutrina. Ele era um homem consistente na teologia e na conduta. Seu caráter era provado.O apóstolo escreve: “E conheceis o seu caráter provado…” (Fp 2.22). Timóteo era um homem irrepreensível, que tinha bom testemunho dentro e fora da igreja. A vida do líder é a vida da sua liderança. Liderança não é apenas performace, mas sobre tudo, integridade. John Maxwell definiu liderança como influência. Um líder influencia sempre: para o bem ou para o mal. A liderança jamais é neutra. Um líder é bênção ou maldição. Timóteo era uma bênção, pois sua vida referendava seu ensino.

4. Timóteo, um líder consagrado à causa do evangelho. Timóteo não era um líder subserviente a homens. Ele servia ao evangelho. Paulo escreve: “…pois serviu ao evangelho, junto comigo, como filho ao pai” (Fp 2.22). Ele era servo de Deus, dedicado ao serviço do evangelho. Quem serve a Deus não se submete aos caprichos dos homens. Quem serve a Deus não depende de elogios nem teme as criticas. Quem serve a Deus não anda atrás de holofotes. Servir a Deus é servir ao evangelho, é colocar a vida a serviço do reino de Deus na proclamação e ensino do evangelho.

Pr Hernandes Dias Lopes é Pastor Titular da Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória-ES.